Projeto Sesc Amazônia das Artes será aberto hoje, às 19h30, no Teatro Arthur Azevedo
Tecnologia do Blogger.

Projeto Sesc Amazônia das Artes será aberto hoje, às 19h30, no Teatro Arthur Azevedo



ALTERNATIVO - O ESTADO - São Luís transforma-se, a partir de hoje, em um espaço para a diversidade cultural da Região Amazônica com a realização de mais uma edição do projeto Sesc Amazônia das Artes, cuja abertura acontece às 19h30, no Teatro Arthur Azevedo (Rua do Sol), com entrada franca. A iniciativa oportunizará o acesso a bens culturais por meio do estímulo, difusão e intercâmbio de produtos artístico-culturais que valorizam a diversidade das linguagens e de propostas.

A primeira atração é o grupo paraense “Quaderna”, que apresentará o show “Pregões – Melodias das Ruas”. Em seguida, será apresentado o espetáculo “Malcriadas”, com a companhia “Em Cena Ação”, do Amapá, no Salão Versátil do Teatro Arthur Azevedo, para público limitado. A programação de abertura será encerrada na Fonte do Ribeirão, com a performance “Desalinho”, do maranhense Marcos Ferreira, iniciando às 22h.
O espetáculo “Melodias das Ruas” será apresentado pelo grupo musical Quaderna, capitaneado pelos compositores Allan Carvalho e Cincinato Jr. O trabalho é fruto de pesquisa sobre os pregões de rua, cânticos de venda dos comerciantes populares de hoje e de ontem. Esta é uma experiência ímpar para quem deseja mergulhar nesse universo, que bordeia os rumos do canto, da venda, da oralidade, da memória e do marketing das ruas, ouvidos no dia a dia, como música que passa despercebida no cotidiano das cidades.
Em seguida, será a vez do espetáculo “Malcriadas” ser apresentado no Teatro Arthur Azevedo. A montagem conta a história de empregadas subservientes que vivem tramando contra sua patroa num plano perigoso e arriscando num desafio tênue entre a relação estabelecida opressor/oprimido. Nesse jogo, a figura central (o poder) entra na medida em que vai se revelando as provas cabais que comprometem suas subordinadas ao desvendar, ainda que indiretamente, seus crimes.
Exposição
A performance “Desalinho”, a ser apresentada na Fonte do Ribeirão, é interativa e composta pela instalação “Casulos” e a obra “Metamórficas”. A instalação reúne pêndulos situados em diferentes alturas que estimulam a experimentação sensorial tátil, ressignificando técnicas de “desalinho” por meio de multiformas orgânicas que se assemelham a “Casulos”.
Já “Metamórficas” apresenta escultura em crochê que pode sofrer mutação com o processo de livre transformação no decorrer da interação dos visitantes, remetendo à capacidade de adaptação e mudança. A presença do artista durante o período da exposição, representa ainda uma ação que dá continuidade, transformação e movimentação à obra por meio da performance.
A exposição, por um lado é expressão de uma relação com o período de metamorfose da borboleta que, num inevitável momento de desenvolvimento e transformação, deixa o casulo e voa enquanto outro ser, um novo ser - metáfora que dialoga com o processo de criação do artista. Por outro, desconstrói o caráter utilitário do crochê a partir de multiformas, texturas e desenhos marcados pela assimetria, refletindo sentimentos de transformação e libertação criativa.
Em 2006, o grupo lançou um CD que abordava a influência da cultura nordestina na Amazônia, em especial na paraense, sendo esse processo fruto da bolsa de Pesquisa e Experimentação Artística do Instituto de Artes do Pará. Com o disco, teve o importante reconhecimento de seu trabalho, conquistando o Prêmio Dynamite/SP (2008), um dos maiores da música independente no Brasil, como destaque regional.
Diretores
O projeto percorrerá os estados do Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Piauí, Tocantins, Rondônia e Roraima. O lançamento do Sesc Amazônia das Artes contará com a presença de diretores de regionais do Sesc, além de coordenadores de cultura dos estados participantes. No Maranhão, a programação seguirá até o dia 15 deste mês, com atrações culturais dos nove estados da Amazônia Legal e do Piauí, reunindo obras artísticas de dança, teatro, música e cinema, além da exposição fotográfica “Já fui Floresta”, do fotógrafo José Medeiros, lançada no dia 8 de abril e aberta ao público até sexta-feira, na Galeria de Artes, no Sesc Administração, das 9h às 17h. As visitações podem ser agendadas previamente.
O projeto completa nove anos promovendo o intercâmbio entre arte e cultura e o diálogo acerca da carência de políticas públicas indispensáveis para atenuar necessidades básicas do cidadão. Seja com obras cinematográficas, espetáculos teatrais ou de dança, as produções regionais são o foco da mostra, que permite a troca de experiências entre público e artista de todas as regionais e também o cultivo de valores como a liberdade, autonomia, solidariedade, responsabilidade social e o autoconhecimento.
Do Maranhão, serão apresentados “Velhos caem do céu como canivetes”, dia 8 na sede da Pequena Companhia de Teatro (Praia Grande) e o show com a cantora Núbia, dia 10, às 19h, na Praça Nauro Machado, no mesmo bairro. O espetáculo “Velhos Caem do Céu Como Canivetes” é livremente inspirado no conto “Un señor muy viejo con unas alas enormes”, de Gabriel García Márquez. Com dramaturgia e encenação de Marcelo Flecha, a narrativa apresenta duas personagens em permanente exercício dialético: um Ser Humano, representado pelo ator Cláudio Marconcine, e um Ser Alado, representado pelo ator Jorge Choairy.
Serviço
O quê
Lançamento do projeto Sesc Amazônia das Artes
Quando
Hoje, às 19h30
Onde
Teatro Arthur Azevedo (Rua do Sol)

Entrada franca

0 comentários:

Postar um comentário

visualizações!