Blog do Joel Jacinto
Tecnologia do Blogger.

SAPUCAI 2016 - Seis escolas abrem neste domingo o desfile do Grupo Especial na Sapucaí


Outras seis escolas vão se apresentar na segunda-feira.
Desfile está marcado para começar às 21h30.


FACEBOOK
O desfile das escolas de samba do Grupo Especial do Rio começa neste domingo (7), a partir das 21h30, no Sambódromo, no Centro do Rio. Nesta primeira noite de apresentação, o público poderá conferir o que Estácio de Sá, União da Ilha do Governador, Beija-Flor de Nilópolis, Acadêmicos do Grande Rio, Mocidade Independente de Padre Miguel e Unidos da Tijuca prepararam para este carnaval. Nas segunda-feira (8), outras seis escolas complementam os desfiles do grupo.

RÁDIO AM RECEBE HOMENAGEM NA “TURMA DO SACO”




Criado há 42 anos, o bloco organizado “Turma do Saco” leva à passarela do samba, em 2016, o samba tema “Nas ondas do rádio AM”. Segundo o presidente da agremiação, Marcio Sidney Sousa Cavalcante, a ideia de homenagear as emissoras surgiu durante uma transmissão da apuração do Carnaval, no estádio Nhozinho Santos, quando ele percebeu a dedicação dos comunicadores na cobertura das festividades. “É uma singela homenagem, porque merecia algo muito maior. O rádio AM é uma coisa gigantesca. Pena que o bloco organizado tem apenas quinze minutos para apresentar o trabalho dessa magnitude”, detalhou Cavalcante.

Para o desfile de segunda-feira (8/2) o bloco vai levar 400 integrantes, sendo 100 batuqueiros ritmistas da bateria. A letra e a melodia fazem referência à história das rádios AM, aos programas e apresentadores emblemáticos e destaca o papel das emissoras na integração da ilha de São Luís aos municípios do continente.

Escolas de samba pedem passagem para desfilarem neste domingo gordo na Passarela do Samba

Escolas de samba de São Luís desfilam hoje e amanhã na Passarela do Samba em disputa pelo título de melhor do Carnaval de 2016

O ziriguidum vai tomar conta da Passarela do Samba (Anel Viário), hoje, a partir das 21h, quando começam os desfiles das Escolas de Samba de São Luís. Nesta noite desfilam Unidos de Fátima, Terrestre do Samba, Império Serrano, Marambaia e Flor do Samba.
Amanhã se apresentam, a partir das 21h30, Mocidade Independente da Ilha, Túnel do Sacavém, Turma de Mangueira, Turma do Quinto e Favela do Samba. Antes, passarão pela Passarela blocos organizados e turmas de samba.
A Escola de Samba Unidos de Fátima será a primeira a desfilar. Há três anos afastada do desfile oficial, a agremiação levará para o Anel Viário a trajetória do político e ex-governador Jackson Lago. Com o tema “Jackson Lago… de Pedreiras ao Carcará da Ilha Rebelde”, a escola, sediada no Bairro de Fátima, tem samba enredo assinado por Jeovah França e Ribão D’Oludô. Para levar esta história a público, a escola terá três carros alegóricos, 10 alas e quatro quadros, divididos entre os cerca de 1.200 componentes, além das 40 baianas e 90 ritmistas.
 A próxima escola a desfilar será a Terrestre do Samba, com o enredo  ‘O Mundo no Fundos dos nossos Quintais’, do carnavalesco Guilherme Mendes.
Terceira escola a entrar na avenida, a Império Serrano, que tem como base o bairro Monte Castelo, vem com o enredo “Baixada Maranhense, Império de Riquezas”. De acordo com o presidente Nélio Silva, a agremiação vem disposta a brigar pelo título.
“De Tribuzi a São Luís, uma louvação ao Carnaval” é o tema da Marambaia. A escola, que ano passado ficou em quarto lugar, defende este ano a trajetória do poeta, jornalista e economista, autor do hino “Louvação a São Luís”. A agremiação, sediada no Bairro de Fátima, relembrará a vida e obra do homem que introduziu o Modernismo no Maranhão e fundou, ao lado de José Sarney, o jornal O Estado do Maranhão.
Sob o comando do carnavalesco Denys Melodia, a Marambaia desfilará com 18 alas, quatro alegorias, dois tripés e cerca de 1.600 pessoas. O samba, de autoria de Denys Melodia e Haroldo Oliveira, tem inserções de poemas do homenageado.
José Tribuzi Pinheiro Gomes nasceu em 2 de fevereiro de 1927 e morreu no dia 8 de setembro de 1977, em São Luís. Deixou como legado uma obra que contempla áreas distintas e comprova a grandeza do maranhense. Dono de espírito irrequieto, o poeta caminhou com desenvoltura pelo jornalismo, economia, política e música. Sua obra poética está publicada em 10 livros e foi reunida no volume “Poesias Completas” (1979). É de sua autoria da marcha-rancho “Louvação a São Luís”, tomada como hino da cidade de São Luís.
Já a Flor do Samba cantará o Laborarte. Com o tema “Laborarte: mais que um laboratório de artes. Uma paixão da cidade”, a escola, do bairro Desterro, narrará a trajetória da entidade que nasceu em 1972 e foi berço para muitos artistas locais. A escola, que encerra a primeira noite de desfiles na Passarela do Samba, foi sagrada vice-campeã ano passado.
Sob a coordenação do carnavalesco Sebastião Cardoso, a agremiação do Desterro contará, por meio de cinco carros alegóricos, 20 alas, comissão de frente com 12 bailarinos (coreografada por Flávia Almeida), bateria com 120 ritmistas (sob o comando do mestre Dudu), quatro casais de mestre-sala e porta bandeira, a história do Laborarte desde sua fundação, passando pelos principais espetáculos e personalidades artísticas que têm relação com o grupo, além da importância histórica e cultural da entidade.
O samba é de autoria de Darlan Oliveira, em parceria com Lucas Neto e Hakan. O puxador é Vovô. . “A sinopse de nosso enredo foi escrita por meu irmão, Augusto Tampinha. E nós estamos trabalhando intensivamente há alguns meses para dar vida a ele”, pontua o presidente da escola, Luis César Maia, o Lulu.
O presidente reforça o elo que a escola faz questão de manter com a comunidade. “Na Flor do Samba a comunidade não só participa como também define. Hoje, a maioria dos membros da diretoria são do Desterro e isto fortalece os laços entre a escola e seu berço”.
Serviço
O quê
Desfile das escolas de samba de São Luís
Quando
Hoje e amanhã, a partir das 21h
Onde
Passarela do Samba (Anel Viário)
Ordem dos desfiles da Passarela do Samba
Hoje
21h00 às 22h00 Unidos de Fátima
22h10 às 23h10 Terrestre do Samba
23h20 às 00h20 Império Serrano
00h30 às 01h30 Marambaia
01h40 às 02h40 Flor do Samba

Amanhã

21h30 às 22h30 Mocidade Independente da Ilha
22h40 às 23h40 Túnel do Sacavém
23h50 às 00h50 Turma de Mangueira
01h00 às 02h00 Turma do Quinto
02h10 às 03h10 Favela do Samba



Desfiles continuam na segunda-feira

Amanhã a festa começa com a escola Mocidade Independente da Ilha e será encerrada com a Favela do Samba

Quem abre os trabalhos na segunda-feira gorda é a Mocidade Independente da Ilha. Sediada na Cohab, a agremiação traz este ano o tema “A Mocidade no Centenário do samba no Carnaval Maranhense”. “Vamos fazer uma homenagem ao samba que teve sua primeira música gravada há exatos 100 anos no Rio de janeiro”, diz o presidente da escola, Josafá Ferreira Lima.
A escola se apresentará com quatro carros alegóricos, 14 alas e cerca de mil integrantes. “Estamos fazendo de todo para que saia perfeito, é claro que dentro das nossas possibilidades”, diz o presidente.
A Túnel do Sacavém será a segunda escola a passar e defenderá o tema “Terra Adorada – Da criação à magia do Carnaval”. A composição do samba é de Alysson Ribeiro e Walace Godinho e a agremiação entrará na Passarela com 13 alas que falarão desde a origem da criação, passando pelas várias fases da evolução do homem até alcançar a necessidade da preservação da natureza.
A seguir a Turma de Mangueira invade o Anel Viário. “Enoque Silva: O cisne dourado do lago Joãopaulimo” é o tema da escola para este ano. O enredo é de autoria do presidente da agremiação, Itamilson Lima.
Maranhense, nascido em Pinheiro e criado em São Luís, Enoque Silva dedicou-se a trabalhos artísticos e manuais. Em 1979 ingressou no Laborarte e no mesmo ano passou a ser destaque de escolas de samba, como Escola Pirata do Samba, Turma do Quinto, Favela do Samba, Flor do Samba e Unidos de Fátima. No Rio de Janeiro desfilou na Unidos da Ponte, Vila Izabel, Estácio de Sá, São Clemente e Grande Rio.
A penúltima escola da segunda-feira será a Turma do Quinto. Há 39 anos emprestando sua voz para o desfile da escola de samba o cantor Gabriel Melônio será o grande homenageado deste ano com o enredo “O Anjo Gabriel”, de autoria dos compositores Luís Henrique Bulcão, Inácio Pinheiro e José Pereira Godão.
A escola entrará na Avenida com 17 alas, cinco carros alegóricos e cerca de dois mil componentes. “Nossa expectativa é a melhor possível. Temos a certeza d3e que vamos brigar pelo título apesar das dificuldades financeiras”, destaca Nelson Costa, presidente da Turma do Quinto.
Já a Favela do Samba, campeã do Carnaval do ano passado, este ano defende o tema “Se não chover? ... Se a fonte do Rio não brotar? ... E se o Mar secar? ... O que de nós será?”. “Nosso tema é sobre a problemática da água, tema atual e que tem preocupado o mundo todo”, diz o presidente da agremiação, João Moraes.
A escola passará na avenida com 21 alas, cinco carros alegóricos, um tripé e cerca de dois mil e quinhentos componentes. “Nossa expectativa é de fazermos um grande desfile, com a presença da nossa comunidade que sempre abraça a escola com muita garra e determinação”, ressalta o presidente.
O enredo da Favela é de Pedro Padilha, o samba é de autoria de Luzian Filho e Josias Filho e o carnavalesco é Júlio Matos.


Blocos Tradicionais do Grupo 'A' driblam a crise e realizam grandes desfiles

Segunda noite de desfile do Carnaval tem encanto dos Blocos Tradicionais do Grupo A
Catirina e Pai Francisco, no desfile dos Reis da Liberdade'

GUSTAVO SAMPAIO E LUCAS VIEIRA/NA MIRA

Vinte blocos desfilaram na noite desse sábado (6), na Passarela do Samba, no Anel Viário.
SÃO LUÍS - Encantar. Este verbo foi a intenção de todos os blocos que passaram pela Passarela do Samba, no Anel Viário, em São Luís, no segundo dia da programação dos desfiles do Carnaval 2016.

 A abertura da última sexta-feira (5)registrou a diversidade de ritmos dos blocos do grupo B. Já nesse sábado (6), foi a vez dos blocos tradicionais do Grupo A mostrar que merecem estar onde chegaram - e que não devem sair tão cedo.

CHEGOU O CARNAVAL!


José Louzeiro
A chegança do Carnaval faz lembrar  das pessoas que não esquecem dos “tempos idos”, em que Carnaval era brincadeira que reunia pessoas de todos os tipos, principalmente as que tinham vocação para brincadeiras populares: melhor dizendo – era a hora e a vez dos velhos relembrarem o que haviam aprendido.
E olha que, nesse relembrar, surgiu novidades surpreendentes, como o caso da “nega bonita”, de calça amarela e chinelo de couro, que os sambistas que se misturaram com a “baianice” que somos incapazes de separar um dos outros.
É bom lembrar que a cantoria “baianense” tem tudo a ver com o “carioquês” falado pelos cariocas.
Atualmente, se desejarmos estabelecer as raízes do samba, fatalmente teremos que recomeçar ao “sambalelé”, que se encontra em pleno rejuvenescer.
O velho samba está cansando por falta de novidades rítmicas e as que tem, não são adequadamente exploradas e, tudo vira “sambalelé”, o que não é verdade!
O samba tem muito a ver com a ginga que se instalou nas favelas e nos morros; é o momento em que o negro solta seu grito de liberdade, que já não consegue nem no Carnaval. O negro não tem voz!

Desfiles dos Blocos Tradicionais na sexta-feira gorda, numa festa de brilho e cores


O carnavalesco Darlan Oliveria, de Chapeleiro Marluco, no Bloco Os Trapalhões 
GUSTAVO SAMPAIO E LUCAS VIEIRA/NA MIRA

Abertura ocorreu nessa sexta (5), na Passarela do Samba, no Anel Viário.

Alegria. Paz. União. Diversão. Estas foram algumas das palavras que marcaram o primeiro dia da programação dos desfiles na Passarela do Samba,no Anel Viário, em São Luís, com o Carnaval 2016. A abertura dessa sexta-feira (5) foi marcada pela diversidade de ritmos dos blocos tradicionais do grupo B - eles concorrem ao prêmio de R$ 15 mil reais. A competição foi disputada com muita garra e brilho - luz esta que ganhou a passarela.
Abrindo a programação, homenageando Zé Pereira Godão, o Bloco Os Baratas, com a missão de empolgar os brincantes logo na abertura. A folia tradicional do bairro residente, Madre Deus, ajudou e a missão foi cumprida com êxito. Em seu ano de estreia, o bloco mostrou que a diversão era de raiz - e todo o público estava convidado para a festa.

visualizações!