Memória de um “Guriatã”
Tecnologia do Blogger.

Memória de um “Guriatã”

Humberto de Maracanã é uma referência da cultura popular do Maranhão
Humberto de Maracanã é uma referência da cultura popular do Maranhão
Documentário “O Guriatã”, sobre a trajetória artística de Humberto de Maracanã, será gravado sexta-feira e sábado, na sede do Boi de Maracanã, aos cuidados de uma equipe de São Paulo, da Maracá Produções; DVD deverá ser lançado no mês de junho.

O Maranhão está há quase dois anos sem um de seus mais emblemáticos cantadores. Humberto Barbosa Mendes, ou Humberto de Maracanã, faleceu em 19 de janeiro de 2015, mas é figura marcante na história do grupo folclórico. Prova disso é o documentário “O Guriatã”, que está sendo gravado sobre sua trajetória artística, fruto do projeto contemplado no programa Rumos Itaú Cultural. Uma equipe de São Paulo, da produtora Maracá Produções, está em São Luís para gravar as últimas imagens que comporão o DVD. As gravações acontecerão sexta, 20, e sábado, 21, às 20h, na sede do boi, no Maracanã.

O material audiovisual será montado também com imagens captadas no São João de 2016, quando das apresentações do batalhão nos diversos arraiais da capital maranhense. Segundo Maria José Soares, presidente do Boi de Maracanã e viúva de Humberto, oito pessoas da produtora Maracá desembarcaram em São Luís na madrugada de ontem.
Ela antecipou que o documentário terá imagens do Guriatã em suas apresentações, depoimentos dos chamados Amigos da Velha Guarda do Boi de Maracanã e passagens com a participação de outros cantadores do boi, como Humberto Filho, Ribinha de Maracanã e Tetêco. “Os depoimentos foram gravados, por exemplo, com Lourenço Barbosa, Malvino Maia, Vitor Santos, Pedro Paulo Marins e Zé Mário”, contou Maria José Soares.
Para as duas noites de gravações e festa na comunidade do Boi de Maracanã, foram convocados, além dos brincantes e convidados, simpatizantes e pessoas de outras comunidades ligadas ao boi, como dos bairros Alemanha, Porto Grande, Vila Maranhão e Taim. O documentário deverá ser lançado no São João deste ano. Para Maria José Soares, o documentário é um presente bem-vindo para o Boi de Maracanã, por destacar o Mestre Humberto de Maracanã, que dedicou sua vida à cultura do bumba meu boi, incentivando e contribuindo para que novas gerações compreendessem a importância do folclore para a vida de uma comunidade.
“Humberto deu tudo de si para esse grupo folclórico. Acho merecida essa homenagem, sendo esta uma maneira de guardamos uma preciosidade sobre sua história, para que os futuros brincantes conheçam o legado que ele deixou. É uma maneira de não deixarmos a tradição morrer”, disse Maria José Soares, que já teve reuniões com a equipe de gravações.
Conforme a presidente, o ano começou movimentado na sede do grupo folclórico. Além da gravação do DVD, continuam, por exemplo, as oficinas de bordado de indumentárias para o São João deste ano. “É tradição confeccionarmos novas indumentárias anualmente, pois primamos pela plástica do espetáculo. O Boi de Maracanã é um projeto secular que demonstra o amor de uma comunidade pela cultura maranhense. As pessoas que saem ou acompanham o grupo, seja no dia a dia ou nos terreiros juninos, fazem porque gostam das toadas, da dança e de tudo que envolve a nossa tradição”, disse a presidente.
Canto
“Guriatã” foi o nome dado pela comunidade a Humberto de Maracanã, em homenagem ao pássaro homônimo de canto melodioso. Em outros estados, ele é conhecido também como Gaturamo-Itê, Guiratã, Guipara ou Guriatã-de-Bananeira. Trata-se de uma ave bastante social e bonita. O macho tem as partes superiores azul-metálicas, uma mancha amarela na testa e as partes inferiores amarelas. A fêmea apresenta as partes superiores verde-oliváceas e as inferiores amarelo-oliváceas.

Maria José Mendes tem um desses pássaros em sua residência, no Maracanã. “O canto do Guriatã é lindo e ele é conhecido como o pássaro mais musical de todos, pois tem a capacidade de imitar outros pássaros. Sua melodia é uma força da natureza, como era o canto de Humberto de Maracanã, que era entoado também com o coração”, finalizou Maria José Soares.

0 comentários:

Postar um comentário

visualizações!