8 de maio: Dia do Artista Plástico
Tecnologia do Blogger.

8 de maio: Dia do Artista Plástico


Foto 8 de maio: Dia do Artista Plástico
SÃO LUÍS – Hoje, 8 de maio, é comemorado o dia do artista plástico, cuja data foi oficializada em 1950, em homenagem ao nascimento do pintor e desenhista brasileiro da segunda metade do século XIX, José Ferraz de Almeida Junior. O pintor iniciou sua carreira na Academia Imperial de Belas Artes, no Rio de Janeiro, em 1876, com a ajuda do Imperador Dom Pedro II, que ofereceu a ele uma bolsa de estudos, para continuar seus estudos. José Ferraz seguiu em viajem para Paris, onde realizou uma exposição de arte, conhecida como Salon Offíciel dês Artistes Français.

Visando atender as necessidades do mercado de trabalho e formar grandes artistas plásticos, o curso de Artes Visuais oferece a disciplina tridimensionalidade, ministrada pelo professor e artista plástico Paulo César Alves. A disciplina trabalha as diferentes técnicas, que funcionam em um processo de abstração que nos dá a sensação de volume dos objetos. “Quando falamos efeito de volume significa que a figura possui definição de altura, largura e principalmente profundidade”, ressalta.
Ele explica ainda que as esculturas são trabalhadas de forma abstratas, ou seja, elas vêm do lúdico. Paulo César enfatiza que esses alunos começam a produzir as peças, por meios de um processo longo de pensamento. “A partir desses pensamentos, vamos ‘brincar’ com esses objetos, ou melhor, vamos retridimensionar as peças fazendo um estudo de luz e sombra, transformando-o em um processo de desconstrução”. Nas artes visuais da atualidade muitos dos profissionais egressos da UFMA dão continuidade aos estudos da tridimensionalidade criando trabalhos extremamente criativos e inovadores.

Nesta perspectiva, a Universidade Federal do Maranhão está construindo um Centro de Artes, localizado próximo ao Centro de Convenções da UFMA, que será uma referência para os estudantes de artes, já que lá, eles poderão apresentar e expor seus trabalhos em galerias de artes. O núcleo contará com dois pavimentos em uma área de nove mil metros quadrados, galeria de arte, salas de cinema e laboratórios para o desenvolvimento de atividades dos diferentes segmentos, como pintura, desenho, fotografia, escultura, dentre outros trabalhos. A construção deste prédio é o resultado de uma ideia compartilhada, em um processo de integração das expressões artísticas, em um espaço transdisciplinar na Universidade Federal do Maranhão.
Para a estudante do Curso de Artes Visuais, Celiane Louseiro, conhecida artisticamente como Lyera Vouper, a data do dia 8 de maio é muito importante, pois os artistas contribuíram na formação da sociedade e das visualidades, além do cenário cultural. Segundo ela, esta data não é muito lembrada. “O curso é composto por vários artistas plásticos maranhenses. Fiquei muito contente com o novo Centro de Artes. É um avanço dentro do ensino e da arte do Maranhão, porque um prédio como este só vem somar para o curso e para os futuros profissionais, que vão usufruir de um bom espaço que abrigará uma galeria. Nesse novo ambiente, teremos um local adequado para expor nossas obras, tendo em vista que as que produzidas pelos alunos são alocadas em salas não apropriadas, quando o ideal seria um espaço próprio, como este que será construído na Universidade”, declarou.
A Universidade Federal do Maranhão parabeniza, então, todos os professores e estudantes do curso de Artes Visuais, cuja área está voltada para a licenciatura, e se divide entre aulas teóricas e práticas, onde os professores têm a missão de formar profissionais, não só para atuar em salas de aula, mas também para operar, de forma significativa, em veículos de comunicação, galerias de artes, centros culturais, circos, museus, dentre outras ramificações.
Vida do Artista
O Professor da Universidade Federal do Maranhão e artista plástico, Paulo César, lotado no curso de Artes Visuais, iniciou sua carreira aos 15 anos, onde fez seus primeiros rabiscos como artista plástico, e, em seguida, saiu do interior para a capital maranhense aos 18 anos, onde ingressou na Escola de Arte que até hoje é conhecido como o Centro de Arte Japiaçu. Essa escola pertence à prefeitura. Paulo César transitou por várias áreas, como cerâmicas, esculturas e pinturas. Em 1979, ele ingressou na Universidade Federal do Maranhão, no curso de licenciatura em Desenho e Plástica. Passado uns anos, Paulo integrou o quadro de docentes do curso. Sua primeira exposição individual foi em 1982. Em 2015, Paulo César comemora 33 anos de profissão.

0 comentários:

Postar um comentário

visualizações!