Blocos tradicionais querem apoio financeiro da Prefeitura
Tecnologia do Blogger.

Blocos tradicionais querem apoio financeiro da Prefeitura


Blocos tradicionais que se apresentam no Carnaval de São Luís cobram da Prefeitura uma ajuda de custo para desfilarem durante as festividades momescas deste ano na capital maranhense. Caso eles não recebam a verba, essas agremiações ameaçam não participar dos desfiles na Passarela do Samba. Hoje, às 15h, representantes desses blocos se reunirão com o presidente da Fundação Municipal de Cultura (Func), Marlon Botão, para discutir a situação.

O encontro seria realizado na tarde de ontem, porém foi remarcado para hoje por causa de outros compromissos que o presidente da Func já havia agendado anteriormente para esse horário.

Os donos dessas agremiações alegaram que necessitavam da verba para arcar com alguns custos como na confecção das fantasias, por exemplo. De acordo com Paulo Salaia, presidente do Bloco Tradicionais Os Feras, as escolas de samba que se apresentarão na passarela este ano receberam verbas da Prefeitura que custearam o desenvolvimento de algumas atividades e, por essa razão, os blocos também estão reivindicando o mesmo tipo de tratamento.


"Não é justo as escolas receberem R$ 70 mil, e os blocos não. Isso é um absurdo. Nós fazemos as nossas apresentações para receber apenas os nossos cachês 90 dias depois do Carnaval", disse.
Atualmente são 52 blocos tradicionais divididos em dois grupos (blocos do grupo "A" e "B"). Segundo Salaia, as agremiações do primeiro grupo reivindicam R$ 35 mil enquanto que as do segundo grupo pedem R$ 20 mil. Caso essas agremiações não recebam os valores, elas ameaçam não participarem das atividades da Passarela do Samba e se apresentar apenas nos circuitos de rua.

Solicitações - Contactado por O Estado, antes da reunião de ontem com os membros das agremiações, o presidente da Func se esquivou ao ser perguntado sobre o repasse da verba aos blocos tradicionais. "Precisamos resolver o quanto antes este assunto para garantir a festa na cidade. É importante ouvir os grupos e saber das suas solicitações", afirmou Marlon Botão. Na semana passada, durante o lançamento da programação oficial do Carnaval deste ano, o presidente da Func informou que somente os desfiles na passarela este ano custarão R$ 5 milhões ao Município.

Fonte: http://imirante.globo.com/oestadoma/noticias/2015/02/04/pagina282732.asp

0 comentários:

Postar um comentário

visualizações!