O ESTADO NA FOLIA 15.02.17
Tecnologia do Blogger.

O ESTADO NA FOLIA 15.02.17


O Carnaval que nos salva
No Brasil dos absurdos, vale a pena abrir um parêntese para rir de si mesmo. É assim quando desemboca a folia de fevereiro, que, entre outras coisas, pulveriza as marchinhas que zombam da vida política e das figuras públicas, muitas delas agora literalmente fantasiadas de presidiário. Predominante no Carnaval do Rio de Janeiro entre as décadas de 1920 e 1960, quando perderam espaço para os sambas-enredos, as marchinhas jamais se furtaram de ironizar os presidentes e políticos nativos. Na festa deste ano, está permitido usar e abusar, pois com a tenebrosa Lava Jato este país, mais do que nunca, tornou-se fonte inesgotável de enredos conspurcados. Uma enciclopédia de nomes levados para o SPC da corrupção. E isto é um prato cheio para a irreverência. Realmente! No país das injustiças e da impunidade, quem nos salva é o Carnaval. Pelo menos nos quatro dias de Momo. Sejam bem-vindos a O Estado na Folia 2017.


Bloco Maçarico
Se depender da disposição do grupo Vamu di Samba, os cortejos serão infinitos. No comando do Bloco Maçarico, vocalistas (entre eles, Pedrinho - foto) e músicos estarão neste sábado, às 17h, fazendo a despedida da festa deste ano, na Rua dos Maçaricos, na Lagoa da Jansen. Os convidados são Jegue Folia e Feijoada Completa.
Zé Paulo comanda
O tri-campeão maranhense do Festival Maranhense de Música Carnavalesca celebrará dez carnavais da Feijoada do Zé Paulo. A festa acontecerá neste sábado, ao meio-dia, no Buffet Visão e Perfil, no bairro Anil, regada ao ziriguidum dos rapazes do Sindicato do Samba e também do Grupo Magia, bateria da escola de samba Unidos de Fátima e bloco tradicional Os Feras. O anfitrião Zé Paulo se apresentará com banda. A Corte de Momo é a convidada especial.
No passado era assim
A folia maranhense já viveu seus tempos de glória. E como tudo é fantasia, vale recordar passagens inesquecíveis na exposição “Carnaval de todos os tempos”, que o Centro de Criatividade Odylo Costa, filho, vai inaugurar na próxima sexta-feira, às 17h, relembrando fantasias, estandartes e personagens. Tudo com uma ambientação temática, trilha sonora, imagens em vídeo e exibição de documentário na Sala Nauro Machado. A linha do tempo destacará a experiência vivida a partir da década de 1960.
Na Baixada
É verdade que em muitas cidades a programação tirou o time de campo, devido à crise, que inclusive servirá de inspiração para muitos. No Maranhão, no entanto, a maioria dos municípios vai conseguir botar o bloco na rua. É o caso de Pinheiro, que exibe lista incrementada de atrações nacionais: Avine Vinny, Chicabana, Patchanka e Axerife. Os shows acontecerão na Praça José Sarney.


0 comentários:

Postar um comentário

visualizações!