Nova edição do "Poema Sujo"
Tecnologia do Blogger.

Nova edição do "Poema Sujo"

Resultado de imagem
Livro do maranhense Ferreira Gullar chega ao mercado pela editora Companhia das Letras, 40 anos depois de o poema ter sido escrito
A nova edição do livro “Poema Sujo” (112 páginas), do maranhense Ferreira Gullar, foi lançada na última quinta-feira (6), na Livraria Leonardo da Vinci, no Rio de Janeiro. Publicado originalmente em 1976, foi o livro escolhido para marcar a estreia de Gullar na Companhia das Letras, em janeiro, quando o escritor assinou contrato para levar toda sua obra para a editora, após décadas na José Olympio.

A escolha por “Poema Sujo” foi acertada porque é um dos poemas mais importantes de Gullar, que o escreveu enquanto estava exilado em Buenos Aires, durante a ditadura militar brasileira. “Sentia-me dentro de um cerco que se fechava. Decidi, então, escrever um poema que fosse o meu testemunho final, antes que me calassem para sempre”, escreveu Gullar.
O maranhense disse que imaginou que poderia vomitar, em escrita automática, sem ordem discursiva, a massa da experiência vivida e lançar o passado em golfadas sobre o papel. “E, a partir desse magma, construir o poema que encerraria a minha aventura biográfica e literária”, disse. 40 anos depois, o poema continua atual.
História
Em 1970, Ferreira Gullar é obrigado a deixar o Brasil, vivendo em várias cidades. Foi em Buenos Aires que o poeta escreveu, em 1975, entre maio e outubro o “Poema Sujo”, muito bem acolhido pelos intelectuais. Eram realizados encontros e foi na casa de Augusto Boal, em Buenos Aires, entre grupo de amigos liderados por Vinícius de Moraes, que estes conheceram e se apaixonaram pelo “Poema sujo”.

Vinícius de Moraes leva o poema para o Rio de Janeiro escondido em fita cassete, por razões de segurança. Já no Brasil, ele promove sessões de audição privada para intelectuais e jornalistas, e o editor Ênio Silveira resolve publicá-lo no ano seguinte, sem a presença do poeta, ainda exilado. Esse poema abriu as portas para o seu retorno ao país, que foi em março de 1977.

0 comentários:

Postar um comentário

visualizações!