MANIFESTAÇÃO REPUDIA A CULTURA DO ESTUPRO E A IMPUNIDADE
Tecnologia do Blogger.

MANIFESTAÇÃO REPUDIA A CULTURA DO ESTUPRO E A IMPUNIDADE

O ato contra a cultura de estupro é uma manifestação diante dos posicionamentos e comportamentos machistas que culpabilizam as vítimas e legitimam o crime dos agressores.

A manifestação tem ainda o objetivo de visibilizar esta luta e somar forças para “desconstruir essa sociedade que perpétua desigualdade entre os gêneros”, diz a convocatória do evento.
Os Capoeiras da Ilha, Maratuque Upaon-Açu e grupo Afrôs estarão presentes dando apoio ao movimento.
A concentração do ato será na praça D. Pedro II, em frente ao Tribunal de Justiça, às 19hs, dia 20 de outubro.
A organização convida todos para participarem da passeata e levarem tinta e pincel para a confecção de cartazes e uma camisa, caso queira personalizá-la.
VEJA A CARTA DE APRESENTAÇÃO
Somos um movimento contra a cultura do estupro e a violência contra a mulher, portanto, lutamos contra todas as formas de opressão exercidas sobre as mulheres e pela equidade social entre os gêneros. Defendemos uma cultura que afirma, defende e garante os direitos às mulheres, especificadamente, na cidade de São Luís – Maranhão.
Nossa sociedade é marcada pelo machismo e as mulheres cotidianamente são violentadas de diversas formas, uma cantada na rua, estupro, assassinadas. Uma mulher é violentada a cada 11 minutos no Brasil. Desta forma, acolhemos todas as mulheres para que juntas possamos nos fortalecer, nos sentir amadas, valorizadas e seguras, de modo que possamos denunciar as diversas violências contra mulheres.
Desta forma,
1 – Acolhemos as demandas das mulheres;
2 – Fomentamos momentos de diálogos de prevenção, de medidas jurídicas e de empoderamento feminino, presencialmente e/ou virtualmente;
3 – Realizamos intervenções contra o machismo, contra cultura de estupro e violência contra a mulher;
4 – Lutamos para que se cumpram, efetivamente, escutas e atendimentos especializados nas instituições e entidades de serviços para mulheres;
5 – Acionamos e dialogamos com as redes de defesa e proteção da mulher;
6 – Fazermos encaminhamentos, por meio de ofícios, tanto no sentido da denúncia quanto da cobrança de ações efetivas de prevenção e resolução de casos;
7 – Incitamos a sociedade a dar visibilidade ao enfrentamento à violência contra mulher.
SERVIÇO
O quê: Ato Contra Cultura do Estupro
Onde: Em frente ao Tribunal de Justiça
Quando: 20 de outubro 2016
Horário: 19h

0 comentários:

Postar um comentário

visualizações!