Enredo da Favela do Samba - Carnaval de 2017 - União... São Luís... Arthur Azevedo.... Um TEMPLO DO POVO, O TEMPLO DO CARNAVAL!!!
Tecnologia do Blogger.

Enredo da Favela do Samba - Carnaval de 2017 - União... São Luís... Arthur Azevedo.... Um TEMPLO DO POVO, O TEMPLO DO CARNAVAL!!!


Proposição da Temática: Eden do Carmo Soares Júnior
Autoria e Desenvolvimento: Pedro Padilha

1- SINOPSE ENREDO DA FAVELA DO SAMBA 2017.
No início do Século XIX, no apogeu do Ciclo do Algodão, São Luís, representante maior da Província do Maranhão, 4ª cidade do Brasil, tinha como espelho, não a Corte no Rio de Janeiro, mas notícias, modas, perfumes, costumes que chegavam do continente Europeu; e apesar de já totalmente sob o domínio de Portugal, era ainda o frescor e saudade da fundação Francesa que imperava na pequena porcentagem (5%) da classe que monopolizava o poder aquisitivo da província, e na falta de um espaço para que essa sociedade pudesse frequentar, sonhava por um Templo onde poderiam mostrar, demonstrar e esbanjar essa opulência.
Foi com esse pensamento que os comerciantes Portugueses: Eleutério Lopes da Silva Varela e Estevão Gonçalves Braga, desejosos em suprir esses anseios, em viagem pela Europa, e amantes das Artes, em especial, pelo Teatro, que já existia na cidade, em pequenos espaços, se encantaram com as grandes casas de Espetáculos, com o luxo e beleza, com o romantismo que imperava nas grandes obras que estavam em cartaz nos teatros das grandes capitais: dos amores impossíveis, como o de Romeu e Julieta, mas foi teatro em céu aberto, que os fascinou, nas ruas de Roma, onde artistas e o povo se fundem em um só espetáculo, uma festa em louvor pela fartura na colheita e criação, uma homenagem a origem do Teatro antigo, onde oferendas de animais, (o bode) e frutas(uvas) eram ofertadas ao Deus Dionísio (Baco para alguns) em uma verdadeira Orgia, com muitas bebidas(vinho) Cantos, danças, dramatizações e Luxúria, uma representação pagã, onde atores (vestidos de Sátiros, Ninfas, Anjos) misturando o Profano e o Sagrado, contavam a história do Deus Dionísio que para fugir dos titãs se transformara em um bode, e fora devorado nessa forma, mas ressurgia em forma de um bode divino. Também se encantaram com o teatro popular e contemporâneo daquela época, a Comédia Dell Art, ensaiadas nas ruas, em procissão, mostrando o sofrimento do Pierrot, que perdera o amor da Colombina para o malandro Arlequim.
Nas ruas de Madrid, viajaram nos delírios de Don Quixote de La Mancha, que fizera de sua loucura, uma viagem fascinante, e foi com esse sonho e encantamento que trouxeram para São Luís o desejo de construir um Templo que reunisse toda essa Magia, e como uns Verdadeiros Dons Quixotes, vieram com o propósito de vencer todos os moinhos e gigantes para conseguir realizar esse sonho. E o primeiro moinho foi a Igreja Católica, na figura dos Padres Carmelitas, que tinham a visão do Teatro, só dos rituais pagãs da antiguidade, um misto de Pecado e luxúria e não permitiram que a entrada principal do Teatro fosse para o largo do Carmo, por considera-lo Profano e se confrontar contra a igreja.
Depois de grandes embates conseguiram erguer o Templo com a entrada para a rua do sol, com o nome de Teatro União, para simbolizar a união de Portugal e Brasil, para unir povos, unir diferenças... Mas o que haviam sonhado infelizmente não se concretizou. Por quê depois de inaugurado e entregue a sociedade, um verdadeiro templo de luxo, mas com uma péssima engenharia, que ocasionaria muitas reformas futuras, principalmente por questões estruturais, e mesmo trazendo ao seu magnífico palco espetáculos de boas qualidades, entre eles Dramas, Comédias, Farsas... a sociedade que ali frequentava, estava mais interessada em apresentar sua gala, sua pompa, nas vestimentas, que mesmo não condizentes com o nosso clima eram trazidas da Europa, ou ali realizar transações comerciais, ou mesmo um espaço para apresentar as donzelas solteiras em busca de candidatos a maridos; deixando para segundo plano a qualidade das obras apresentadas; e como a exigência dos trajes para ter acesso ao local e os altos preços cobrados, se tornou um espaço totalmente elitizado, chegando uns anos depois a proibirem os patrões a conduzirem até o interior do prédio, escravos de confiança, que outrora os acompanhavam principalmente para tomar conta dos filhos menores e crianças, e estes só tinha acessos ao templo algumas horas antes dos espetáculos para levar as poltronas e almofadas dos patrões para assistirem aos espetáculos, já que o teatro ainda não possuíam cadeiras próprias e depois do espetáculos, busca-las de volta.
O Sonho do Teatro para todos dos comerciantes Portugueses estava muito longe de se tornar realidade... e como Don Quixote, viram que não passava de um delírio.
Somente depois de uma grande reforma, onde o templo se tornou muito mais luxuoso, e com a mudança para o nome Teatro São Luís e com a chegada de uma Companhia Teatral Europeia, trazendo o estilo Ópera, a sociedade que ali frequentava, foi seduzida, pela arte propriamente dita, onde manifestavam comentários, opiniões e levavam para o dia a dia o tema abordado nos espetáculos. E o local começou a ser usado para outras manifestações, eventos de sagração, outros acontecimentos que reuniam a alta sociedade e também os primeiros Bailes de Máscaras, mas uma tendência vinda da Europa, espelhados nos Bailes de Veneza.
E foi nesse apogeu, que nasce no Camarim nº 01, Apolônia Pinto, filha de uma atriz que fazia parte da companhia teatral que se apresentava no momento no teatro São Luís, que entrou em trabalho de parto durante o espetáculo, e que se tornaria mais tarde uma grande estrela, se não, a maior de sua época, do teatro brasileiro, que foi embora pequena e retornou aos 12 anos para se apresentar no palco do teatro com a peça “ a Cigana de Paris”
Já no século XX, em 1920, com a passagem do nome para Teatro ARTHUR AZEVEDO, e entre as apresentações de grandes companhias e entre safras de falta das mesmas, e alguns anos com as portas fechadas, o prédio serviu para outras finalidades culturais, entre elas chegando a funcionar como cinema, e foi aí que começou a popularidade, esse acesso sem distinção de classes, fez que os sonhos dos delirantes portugueses, começasse a se tornar realidade, que a arte integrasse civilizações, que unisse povos e classes sociais, que fosse espelho de artes e de Vidas, suas portas foram abertas para o teatro contemporâneo, artista locais e nacionais, do Teatro, da Música e das Danças; para eventos como semanas das artes, cantos e danças..., onde classes sociais, raças, crenças, religiões e opções sexuais, não são diferenças, e sim partes de um conjunto diverso, que tudo se UNIRIA como no primeiro nome(Teatro União), apenas com um objetivo: mostrar a todos, não só luxo e beleza do local, mas a Beleza da Arte, de todos os estilos, formas e ritmos. A beleza da alma de todos que trazem consigo, nos olhos e no coração um pouco do delírio de Don Quixote, que transforma qualquer lugar num Palácio, num Templo de luxo e beleza de todas as Artes... e que, hoje NA SUA FESTA DE 200 ANOS, O DELÍRIO é realidade na Avenida, ... na Arte Chamada CARNAVAL!!!!

 EDITAL 2016.1
A Sociedade Recreativa Favela do Samba com o objetivo de divulgar a temporada carnavalesca de 2017, torna público o EDITAL 2016.1 do concurso para escolha do samba-enredo para 2017, com o tema: DELÍRIO DE SONHADORES: União... São Luís... Arthur Azevedo.... Um TEMPLO DO POVO, O TEMPLO DO CARNAVAL! O presente concurso será regido pelo seguinte regulamento:
1. DA DISPONONIBILIZAÇÃO DA SINOPSE
1.1 A Sinopse do Tema DELÍRIO DE SONHADORES: União... São Luís... Arthur Azevedo... Um TEMPLO DO POVO, O TEMPLO DO CARNAVAL, de autoria do Carnavalesco Pedro Padilha está disponível na página da Sociedade Recreativa Favela do Samba, e deverá ser solicitada pelo interessado no seguinte endereço de e-mail: faveladosamba.10@hotmail..  para subsidiar a composição da letra, que deve estar de acordo com o tema apresentado, podendo ainda ser solicitada junto à direção da Favela do Samba na sede da escola nas terças e quintas-feiras das 19:00 às 21:00 horas, durante o prazo de inscrição.
1.2 As Propostas apresentadas devem estar obrigatoriamente de acordo com o contexto do tema proposto, serão automaticamente eliminadas e não faram parte das eliminatórias as que não apresentarem a mínima correlação com o tema proposto.
2. CONCORRENTES
2.1 Poderão participar do concurso para escolha do Samba-enredo da Sociedade Recreativa Favela do Samba, para a temporada 2017, qualquer cidadão brasileiro ou não, residente ou não no Maranhão, que se ache em condições de compor o ritmo samba.
Parágrafo Único: Fica vedada a participação no concurso de integrantes da Diretoria da Sociedade Recreativa Favela do Samba, do seu Mestre de Bateria, facultando-se aos intérpretes o direito de participar do concurso como compositor mas sem poder defender o samba de sua autoria, podendo as pessoas impedidas neste Parágrafo Único, compor a Comissão Julgadora do Concurso em apreço, exceto os que estiverem concorrendo.
2.2 Os concorrentes deverão comprovar sua naturalidade e nacionalidade, assim como endereço residencial.
3 TEMA E INSCRIÇÃO
3.1 Os sambas concorrentes deverão ser inscritos em português, com letra inédita e baseada no enredo proposto: DELÍRIO DE SONHADORES: União... São Luís... Arthur Azevedo... Um TEMPLO DO POVO, O TEMPLO DO CARNAVAL!
3.2 A letra do samba, deverá ser entregues em 5 vias digitadas e opcionalmente um gravação de áudio com a melodia em mídia de CD, pen driver e/ou DVD para análise da Comissão de Avaliação, e divulgação junto a impressa local.
3.3 As inscrições serão feitas na sede da Escola, às terças e quintas, no horário das 19:00 às 21:00, no período de 08 de setembro a 04 de outubro de 2016, mediante preenchimento de duas vias da ficha de inscrição (anexo 01), entrega das letras e mídia na forma do item 2.2, entrega do termo de cessão de direitos autorais (anexo 02), entrega de declaração de autoria e ineditismo de música (anexo 03), e entrega da declaração de conhecimento e aceitação dos termos do edital (anexo 04). Pode-se utilizar o e-mail: faveladosamba.10@hotmail.com para maiores informações.
3.4 Feita a inscrição no concurso, só será permitida mudança da letra do samba (ou parte dela) até 05 dias antes da primeira eliminatória, não sendo possível alteração a partir desse momento. Isso só será possível com o samba vencedor, caso a direção de carnaval solicite, baseada em ajustes ao enredo e/ou correção de linguagem, dados históricos e mitológicos, etc.
3.5 O(s) autor(es) do samba inscrito deverá (ão) fornecer no ato da inscrição autorização à Sociedade Recreativa Favela do Samba para execução do mesmo no concurso em apreço e em qualquer atividade da escola, nos termos da Lei 9.610/98, evitando-se assim cobranças de taxas previstas em Lei pelo ECAD ou outra organização que atue no país para recolhimento de direito autoral e/ou de execução, conforme anexo 02.
4. JULGAMENTO
4.1 A escolha do Samba-enredo será através de concurso eliminatório, divulgado amplamente na imprensa local e regional, devendo ser feito ainda ensaios gerais e audições eliminatórias, caso seja necessário, até chegar a escolha final.
4.2 O julgamento oficial do samba será de responsabilidade da Diretoria da Sociedade Recreativa Favela do Samba, que indicará os membros da Comissão Julgadora, devendo ter um mínimo de 5 (cinco) e um máximo de 15 (quinze) membros.
4.3 Nas eliminatórias e na sessão final do concurso serão julgados apenas dois itens: Letra e Melodia, devendo ser atribuído notas de 7 (sete) a 10 (dez) para ambos os itens, permitindo-se o fracionamento da nota por apenas meio ponto. Exemplo: 7 ou 7,5; 8 ou 8,5; 9 ou 9,5 e 10.
Parágrafo Único: A nota final de cada membro da Comissão Julgadora será a soma das notas atribuídas aos itens Letra e Melodia, obedecendo-se o teto máximo previsto neste Regulamento. Em caso de empate, o samba vencedor ou selecionado (nas eliminatórias), será aquele que obtiver a maior nota no item Melodia.
5. DO DIA HORARIO E LOCAL DOS ENSAIOS E ELIMINATÓRIAS
5.1 – Os ensaios e as eliminatórias acontecerão na Sede da Favela do Samba, na avenida dos africanos s/n, Sacavém.
5.2 – Os ensaios acontecem sempre às terças e quintas-feiras das 19:00 às 22:00 horas.
5.3 – Cada concorrente inscrito poderá no ensaio da quinta-feira, realizar ensaio técnico com a bateria da escola, para apresentação na eliminatória do concurso.
5.4 – O concurso acontecerá nas datas de 15 e 22 de outubro de 2016, respectivamente, das 20:00 às 00:00 horas, sendo a primeira data a eliminatória preliminar (15) e a eliminatória final (22), onde será conhecida o samba vencedor.
5.5 -  Participarão da final do concurso as 4 propostas melhores pontuadas na primeira eliminatória, caso haja acima de 5 sambas inscritos, havendo número menor de inscrição a primeira eliminatória valerá como apresentação das propostas e será feito a escolha do samba vencedor na eliminatória final.
6. DOS JURADOS
6.1 – A Direção da Favela do Samba, escolherá os jurados, em meios a músicos, maestros, compositores, historiadores, e pessoas de reconhecido saber no meio da música.
6.2 -  A comissão poderá ser composta ainda de até 03 representantes da Diretoria da Escola, até 02 carnavalescos da escola, de 01 representante da Bateria da Escola, e de até 01 representante da comunidade.
6.3 – Os jurados devem manter imparcialidade, e em nenhuma hipótese deve manifestar-se durante as apresentações das propostas, afim de não haver influência aos demais jurados, sob pena de anulação de todas suas notas atribuídas.
7. DAS PROPOSTAS E ATRIBUIÇÃO DAS NOTAS
7.1 Os jurados receberão individualmente uma pasta contendo a letra de cada proposta dos sambas concorrentes, com a devida identificação da ordem de apresentação, bem com um mapa de atribuição de notas nos termos do item 4.3, contento a relação de todos os concorrentes, onde deverá ser atribuído a cada um as notas do item melodia e do item letra, bem como somatório das duas notas, que integrará o quadro de apuração de notas.
7.2. Caso algum jurado atribua nota inferior às previstas no item 4.3 deste edital, a qualquer participante do concurso, todas suas notas atribuídas serão desconsideradas.
7.3. Caso algum jurado não atribua nota a qualquer participante, ou atribua apenas nota parcial, a maior nota atribuída pelos demais jurados será repetida.
8. PREMIAÇÃO
8.1 A Sociedade Recreativa Favela do Samba concederá certificado de participação a todos os compositores que participarem do concurso.
8.2 Ao vencedor do concurso será atribuído o prêmio em moeda corrente no valor de R$ 2.000,00 (dois mil reais) e mais o Troféu Lira de Ouro.
8.3 O samba vencedor será gravado pela Sociedade Recreativa Favela do Samba para divulgação do seu projeto carnavalesco de 2017, ficando os direitos autorais cedidos à Escola promotora para essa temporada e os anos subsequentes.
9. DISPOSIÇÕES FINAIS
9.1 A gravação do samba vencedor, assim como a marcação definitiva da melodia, será definida pelos intérpretes oficiais e pela Diretoria da Escola, devendo ser obedecida a base dos autores do samba.
9.2 Os casos omissos serão resolvidos pela Diretoria da Sociedade Recreativa Favela do Samba.
9.3 A Favela do Samba não se responsabilizará com despesas de hospedagem, transporte, alimentação, produção e outras, relativas à participação dos intérpretes de São Luís e de quaisquer outras cidades do Estado e fora deste.
9.4. Os participantes deverão estar à disposição para gravações ou filmagens de entrevistas durante a realização deste Concurso.

9.5 A Sociedade Recreativa Favela do Samba poderá adiar o concurso quando houver apenas uma composição inscrita ou por motivos de força maior.

9.6  Por fim, os participantes no ato de inscrição, deverão apresentar declaração (anexo 05), confirmando terem recebido, lido e concordado com este regulamento, o qual possuem uma via de igual teor em seu poder.
São Luís, 01 de setembro de 2016.
JOÃO BATISTA MORAES CARVALHO
Presidente

ANEXO 01
FICHA DE INSCRIÇÃO
COMPOSITORES
NOME 01: ______________________________________________________________
DATA DE NASC.: _____/______/_________
CPF:_______________________________
NOME 02: ______________________________________________________________
DATA DE NASC.: _____/______/__________
CPF:_______________________________
NOME 03: ______________________________________________________________
DATA DE NASC.: _____/______/__________
CPF: ________________________________
SAMBA ENREDO:_________________________________________________________
Eu ______________________________________________, compositor da proposta de samba enredo, venho requerer inscrição no CONCURSO DE SAMBA ENREDO DA FAVELA DO SAMBA – EDIÇÃO 2017.
TEL RESIDENCIAL: (____) ________________________
TEL CELULAR 1: (____) __________________________ OPERADORA: ______________
E-MAIL: _______________________________________________________
OUTROS: ___________________________________________________________
ENDEREÇO: __________________________________________________N°.______,
BAIRRO: __________________ CIDADE: ___________________CEP.:______________.
OBS: Antes de preencher a FICHA DE INSCRIÇÃO, leia atentamente o REGULAMENTO DO CONCURSO SAMBA ENREDO 2017. A apresentação desta FICHA DE INSCRIÇÃO devidamente preenchida promove a aceitação das cláusulas nele anunciados.
Preenchimento pela Agremiação:
Recebida em: _______de ____________________de 2015.
Responsável pela Inscrição: ________________________________________________.
ANEXO 2
Termo de Cessão de Direitos Autorais

Nome do Compositor 01:
Nacionalidade:
Estado civil:
CPF n°:
Endereço:
Nome do Compositor 02:
Nacionalidade:
Estado civil:
CPF n°:
Endereço:
Nome do Compositor 03:
Nacionalidade:
Estado civil:
CPF n°:
Endereço:
Responsável legal:
Nome da música:
Nome do evento: CONCURSO DE SAMBA ENREDO DA FAVELA DO SAMBA - EDIÇÃO 2017

Na qualidade de compositor da música, autorizo a Sociedade Recreativa Favela do Samba, pessoa jurídica de direito privado, CNPJ n° 04., sediada na rua Avenida dos Africanos s/n, Sacavém, a utilizar minha música e imagem na gravação de CD e de DVD relativos ao evento, sem limite de reprodução do material, cedendo gratuitamente os respectivos direitos autorais patrimoniais, sem que me caiba qualquer remuneração ou indenização pela reprodução e alienação do material gravado pela referida Agremiação.
Também autorizo a utilização da música e imagem para propagar, promover, divulgar, registrar e noticiar o evento ou o CD e o DVD, em qualquer meio de comunicação, independentemente de qualquer outra autorização.
A autorização é por prazo indeterminado e a cessão gratuita de direitos autorais patrimoniais é por 70 anos, obrigando os sucessores das partes a quaisquer título e tempo.
Outrossim, responsabilizo-me plena e exclusivamente, inclusive em direito de regresso, por eventuais reclamações ou ações judiciais de plágio.
Elege-se, para todos os fins, o foro da Comarca de São Luís-MA.

São Luís – MA, _____/__________________2016.

_____________________________
Assinatura do compositor 01
_____________________________
Assinatura do compositor 02
_____________________________
Assinatura do compositor 03





0 comentários:

Postar um comentário

visualizações!