Centro de Cultura inaugura neste domingo, 17 de abril
Tecnologia do Blogger.

Centro de Cultura inaugura neste domingo, 17 de abril


Cantora Luciana Pinheiro, artista convidada
Um espaço plural, aberto para as mais diversas manifestações artísticas e que traz novas perspectivas culturais para o coração de São Luís. Assim pode ser definido o Centro Multicultural Upaon-Açu - Re(o)cupa, que inicia as suas atividades, no próximo domingo,17, a partir das 11h estendendo-se pela tarde e noite, com uma variada programação, com direito a shows musicais, uma exposição de lambe-lambe, além de outras atrações.
Para o dia de estreia, foram convidados diversos artistas: Luciana Pinheiro e Seus Camaradas do Samba; DJ Pedro Dread Locks; performer Tieta Macau; Maria Zeferina, com a instalação Marias; Maratuque Upaon-Açu; Sulfúrica Billi; e Coletivo Gororoba.
A ideia de criação de uma casa de cultura surgiu de um grupo de amigos, que resolveu investir tempo e dedicação para o projeto sair do papel. “A nossa motivação maior foi a vontade de reocupar o Centro Histórico, daí o nome da nossa casa. Mas não é ocupar simplesmente por ocupar. É retornar ao centro trazendo arte, cultura, economia criativa, consciência social, ambiental, diálogo com a comunidade, entre outras pautas diversas que guiam as nossa ações”, afirma Deuza Brabo, uma das idealizadoras do projeto.
 
Re(o)cupa: um casarão, múltiplos espaços
A sede do Re(o)cupa, um casarão amarelado, localizado na Rua Afonso Pena, nº 20 (ponto de referência é o final da Rua Grande, sentido Deodoro/Praia Grande), foi dividido em três ambientes, não limitados fisicamente, que se comunicam para propor uma experiência diferenciada para quem visita: A Casa Fala, Mercado das Pulgas e Rangar.
A casa fala é o local para artistas desenvolverem exposições de trabalhos. Um setor de utilidades diversas como: residência artística, mini feira de livros, saraus, encontros literários, oficinas, cineclube, debates sobre os mais variados temas e definições de ações para reocupar com arte a Ilha de Upaon-Açu. Além disso, visa conversar com a comunidade sobre economia sustentável, saúde, arte em várias linguagens e principalmente estratégias de ocupação do Centro Histórico, minimizando as mazelas do abandono.
 
O segundo ambiente da casa é o Rangar: local em que comidas vegetarianas e veganas poderão ser apreciadas, propiciando uma alimentação mais saudável aos visitantes. No Rangar a ideia é promover também uma feirinha orgânica com agricultores da Baixada, fugindo dos alimentos com agrotóxicos e dos geneticamente modificados, valorizando e encurtando, assim, a distância com o pequeno produtor.
Por último, voltado para a economia criativa, a casa conta com o espaço Mercado das Pulgas. Local para se pensar em minimizar os impactos do consumismo exacerbado, direcionado peças em bom estado e baratas para serem reaproveitadas por novos usuários. Artigos seminovos, como livros, CD's, discos, fotos, artes plásticas e todas as formas de cultura para consulta e venda.
Instalação Marias
Paralelamente às atrações musicais, a inauguração vai contar com a instalação “Marias”, da artista e designer Maria Zeferina. O trabalho é composto por 10 imagens de mulheres, usando a técnica lambe-lambe, a partir de fotografias e manipulação de imagens em programas gráficos.
“O projeto começou a acontecer há seis meses, ao mesmo tempo em que fui percebendo como as mulheres que estavam próximas de mim interferiam no meu aprendizado e evolução enquanto ser humano, interferindo no trabalho que estou realizando, agora estimulado a sair do papel através do convite do centro cultural”, explica a artista. Maria Zeferina é curitibana e há quatro anos mora em São Luís.

0 comentários:

Postar um comentário

visualizações!