Para movimentar a cena do audiovisual
Tecnologia do Blogger.

Para movimentar a cena do audiovisual

A animação Boa Noite, Charles será exibida
Festival Guarnicê de Cinema prossegue até o dia 10 com exibição de mostras especiais e competitivas em espaços culturais do Centro Histórico

Mostra Brasil Ontem e Hoje, Competitiva Nacional, Cinema não tem Idade, Mostra Clássicos Maranhenses, Guarnicêzinho e Mostra Jovem, além da reprise dos filmes da Competitiva exibida ontem compõem a programação do quarto dia do 40º Festival Guarnicê de Cinema. O evento ocorre em espaços culturais do Centro Histórico e prossegue até o dia 10 deste mês. Toda a programação é gratuita.


A programação começa às 9h, no Cine Praia Grande, com a Mostra Cinema não tem Idade que exibirá o documentário “Levino”, de David Alves Mattos e Gui Campos; “Do que se faz de conta”, ficção de Amanda Pontes e Michelline Helena; a ficção “Jogo da velha”, de Lucas Vasconcelos; e “Rosinha”, também ficção de Gui Campos.
Logo a seguir, às 12h, haverá reprise do programa da Mostra Competitiva exibida na noite de segunda-feira, no Teatro Alcione Nazaré. Na ocasião, serão reprisados os filmes “Balada para os mortos”, do maranhense Lucas Sá; “O quebra cabeça de Tarik”, de Maria Leite; “Confidente”, de Karen Akerman e Miguel Seabra Lopes; e “Ridículos”, de Paula Lice, Rodrigo Luna e Ronei Jorge. “A ideia de reprisar os filmes da Mostra Competitiva em um horário alternativo foi uma forma que encontramos de fazer com que mais gente possa ver os filmes e também aproveitar este horário de almoço em que muita gente tem tempo de assistir”, diz a diretora do Guarnicê, Fernanda Pinheiro. A reprise ocorre também às 16h30, no Cine Praia Grande.
Um dos destaques da programação desta edição comemorativa do Guanicê é a Mostra 40 anos: Clássicos do Cinema Maranhense, que tem como objetivo destacar as produções locais que foram exibidas ao longo das quatro décadas do festival audiovisual. Hoje estão em cartaz no Cine Praia Grande os filmes “Periquito sujo”, de Euclides Moreira Neto; “Alegre Amargor”, de Luís Carlos Cintra e Euclides Moreira Neto; e “Lá se vem o trem”, de Nerine Lobão Coelho. Todas as produções são documentários.

O tempo feliz que passou será exibido na mostra competitiva 

Competitiva

Às 19h, no Teatro Alcione Nazaré, a pedida é a exibição do programa três da Mostra Competitiva Nacional. São três curtas e um longa-metragem, começando com o documentário “Retalho”, de Hannah Serrat, que traz a história de Pedrozo, que trabalhava nos Correios e fazia vídeos nos tempos livres. Com essas imagens, que ele mesmo postou no Youtube, Hannah faz seu primeiro filme, numa tentativa de encontrá-lo e redescobrir as pessoas e lugares que ele um dia filmou.
A animação “Boa noite, Charles”, de Irmãos Carvalho, fala sobre Charles, um boneco de um filme de stop motion que quando vai dormir e as luzes são apagadas, seu medo do escuro transforma tudo ao seu redor. O último curta da noite é “O olho do cão”, de Samuel Lobo.
Para encerrar o programa três da Competitiva, o longa “O tempo feliz que passou”, de André da Costa Pinto. Trata-se de uma ficção sobre uma família separada por conflitos afetivos e perdida no mundo pela ilusão de multiplicar dinheiro. A morte da matriarca faz com que se reencontrem e tenham a oportunidade de acertar contas com o passado e rememorar um tempo feliz que passou.
O filme tem roteiro de André da Costa Pinto, direção de fotografia de João Carlos Beltrão, montagem e edição de Ely Marques, trilha sonora original de André Paixão e Billy Brandão, desenho de som de Guga S. Rocha, direção de arte de Carlos Mosca. No elenco, Chico Oliveira, Guta Stresser, Paulo Vespúcio, Keytin Canuto, João Vigo, Luci Pereira, Arly Arnaud, Magna Fontes, Nanda Ziegler e Claudia Lira.
Festival
Quarto mais antigo evento de audiovisual do Brasil, além das exibições, o festival Guarnicê de Cinema traz uma programação que contempla ainda uma exposição alusiva aos 40 anos do evento, montada no Centro de Criatividade Odylo Costa, filho, ações formativas que tiveram início ontem e prosseguem até o dia 9, além de bate-papos com realizadores e pré-estreias. Este ano o grande homenageado é o ator Lima Duarte.
Para selecionar os filmes para a Mostra Competitiva, a organização do Guarnicê contou com uma equipe composta pelos curadores Rafaelle Petrini, Stella Aranha, Daniel Queiroz coordenada pelo crítico de cinema Eduardo Valente.
Ao todo, foram selecionadas 38 obras sendo seis para a competitiva Longa Nacional; 18 para Curta Nacional e 14 entre curtas e longas para a competitiva Maranhense. O Festival Guarnicê de Cinema é promovido pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA), por meio do Departamento de Assuntos Culturais (Dac/PROEXCE), conta com patrocínio do Mateus, Governo do Maranhão/Sectur, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, e Banco do Nordeste, e é apoiado pela Fundação Sousândrade, Assembleia Legislativa Rádio Universidade FM e TV UFMA.
Serviço
O quê
Festival Guanicê de Cinema
Quando
Até o dia 10
Onde
Espaços Culturais do Centro Histórico
Programação gratuita – no site http://www.cultura.ufma.br/40guarnice/


0 comentários:

Postar um comentário

visualizações!