Torcida repete grito de 'bicha', que fez Brasil ser punido pela Fifa
Tecnologia do Blogger.

Torcida repete grito de 'bicha', que fez Brasil ser punido pela Fifa


ALEX SABINO
GUILHERME SETO
DE SÃO PAULO

A seleção brasileira pode ser punida pela Fifa por gritos homofóbicos contra Silva, do Paraguai. Todas as vezes que o goleiro cobrava um tiro de meta, a torcida presente no Itaquerão berrava "bicha".

O locutor do Itaquerão chegou a pedir que os torcedores "respeitassem o adversário" e evitassem uma punição à seleção. Foi ignorado.


A CBF já teve que pagar duas multas devido a infrações do tipo. A entidade recebeu multas de R$ 66 mil e R$ 83 mil 2016, após os jogos contra Colômbia, em Manaus, e Bolívia, em Natal, ambos em 2016.

Desde então, tomou medidas brandas de prevenção, como o anúncio no alto falante de mensagens contra xingamentos a adversários. Contra a Argentina, em Belo Horizonte, os gritos não se repetiram.

Argentina, Chile, Peru e Uruguai já foram multados e advertidos pela entidade pelo grito de "puto" de seus torcedores quando o goleiro rival cobra o tiro de meta. 

O México, na Concacaf (Confederação das Américas do Norte e Central), também já foi punido por essa razão. As multas variaram entre R$ 20 mil (Peru e Chile) a R$ 75 mil (Argentina e México).

O Chile já foi proibido de disputar partidas em determinado estádio devido à reincidência dos cantos homofóbicos.

Nos países de língua espanhola, "puto" é uma maneira pejorativa de se referir a homossexuais. No México, pelo menos desde 2004, quando o arqueiro do time contrário se prepara para repor a bola em jogo, os torcedores iniciam o canto com um longo "eee" e finalizam com o "puto" quando o tiro de meta é batido.

Nos últimos anos, com clubes do México na Libertadores, os brasileiros passaram a fazer o mesmo, trocando o "puto" por "bicha".

Torcedores do Corinthians foram os primeiros a importar a hostilidade, geralmente dirigida ao então goleiro do São Paulo, Rogério Ceni.

Durante a Copa do Mundo de 2014, os gritos foram frequentes e desde então foram adotados não somente por membros de torcidas organizadas -durante a Olimpíada deste ano, eles aconteceram em quase todos os jogos de futebol do evento. No final de 2014, a diretoria do Corinthians soltou uma nota em que pedia o fim da manifestação homofóbica.


0 comentários:

Postar um comentário

visualizações!