Técnico-administrativos em educação da UFMA deflagram greve próximo dia 30
Tecnologia do Blogger.

Técnico-administrativos em educação da UFMA deflagram greve próximo dia 30

Os trabalhadores em educação da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) aprovaram, durante assembleia geral realizada na manhã dessa quinta (24), a deflagração de greve a partir do próximo dia 30, aderindo ao movimento nacional e seguindo orientação da Federação que representa a categoria, a Fasubra.


A greve realizada em âmbito nacional completa um mês e atinge 53 instituições federais de ensino superior em todo o país, e tem como pautas principais o cumprimento do acordo de greve realizado entre a categoria e o Governo Federal em 2015, e a não aprovação da PEC 55 (antiga 241), que será votada no próximo dia 29 no Senado Federal.

Antes de aprovar a greve, os mais de 150 trabalhadores presentes à assembleia assistiram as palestras dos professores Antonio Gonçalves (UFMA) e Cláudio Mendonça (COLUN). Os docentes falaram sobre aspectos gerais e específicos da PEC 55, impactos no dia a dia das universidades e escolas públicas, além do cenário econômico-financeiro nos próximos anos se a medida vier a ser aprovada.

Na próxima quarta-feira, dia 30, às 9 horas, no hall do prédio Castelão (UFMA), os trabalhadores voltam a se reunir em assembleia geral que irá representar o início oficial da greve, com a instalação do Comando Local de Greve – CLG/Sintema, e apresentação da pauta integral de reivindicação à sociedade. Um comando tripartite que irá unificar as ações de greve dos técnicos, professores e estudantes deve ser criado nesta data.

Assembleias Setoriais – Ao longo da semana, uma Comissão de Mobilização trilhou por diversos setores da UFMA, sensibilizando e alertando a categoria sobre os malefícios das medidas contidas na PEC 55 e em outros projetos de lei (257), proposta de Reforma da Previdência, dentre outros. O material informativo produzido pela Fasubra, reproduzido pelo sindicato, foi entregue aos trabalhadores do CEB Velho, CCSO, Prefeitura de Campus, Reitoria, CCET, CCH, dentre outros setores.

Pauta – A Proposta de Emenda Constitucional (PEC 55 antiga 241) e a quebra do acordo de greve celebrado com o governo em 2015, são os principais motivos para a greve. No rompimento do acordo o governo deixou de: reabrir o prazo de opção para adesão ao PCCTAE; aproveitar as disciplinas de graduação e pós-graduação para incentivo à capacitação; dar o afastamento para capacitação e qualificação; revisar as condições para a concessão dos adicionais de insalubridade e de periculosidade (ON 06/SEGEP/MP/2013); atualizar as atribuições dos cargos, atualização dos requisitos de ingresso, racionalização dos cargos; reconhecer o mestrado e doutorado obtidos fora do país aplicado com as mesmas regras para os docentes; dimensionar o Pessoal e Matriz de Distribuição de Vagas; publicar o Edital referente à adesão das IFEs ao Plano Nacional de Desenvolvimento Profissional dos Servidores Integrantes do PCCTAE, para oferta de 2. 000 vagas nos cursos de graduação e 2000 vagas nos cursos de especialização; dentre outros.

Além disso, os trabalhadores em educação da UFMA tem uma pauta reivindicatória interna que será apresentada à professora Nair Portela, reitora da universidade, com pontos que vão desde a redução da jornada para 30 horas semanais (já implantada em várias universidades) sem redução de salários, e o fim do assédio moral por parte de algumas chefias, dentre outros.

0 comentários:

Postar um comentário

visualizações!