José Joaquim cobra implantação de abrigos com sanitários para taxistas
Tecnologia do Blogger.

José Joaquim cobra implantação de abrigos com sanitários para taxistas


A Câmara Municipal de São Luís aprovou, por unanimidade, requerimento do vereador José Joaquim Guimarães (PSDB), encaminhado a prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (PTC), ao titular da Secretaria Municipal de Obras (Semosp), Antônio Araújo, e ao secretário de Trânsito e Transportes, Canindé Barros, pedindo a implantação de abrigos com sanitários públicos para taxistas em cada um dos postos de táxis em São Luís, dentro dos padrões técnicos e possibilidades para cada situação.

Para o vereador José Joaquim, a falta de abrigos em locais movimentados da cidade de São Luís, como as praças João Lisboa, Deodoro e Pedro II, provoca reclamações e desconforto a centenas de taxistas, que pediram sua intervenção junto ao poder público federal, estadual e municipal, para conseguir o benefício.


CONVÊNIO - Para reforçar ainda mais o pleito dos taxistas, o vereador José Joaquim encaminhou indicação, também aprovada pela Câmara Municipal, ao governador Flávio Dino (PCdoB) e à Superintendência Regional do Iphan no Estado do Maranhão solicitando estudos para implantação dos abrigos, com sanitários públicos, nos postos de táxis.

Nos documentos, que já estão nas mãos das autoridades competentes, o vereador solicita ainda estudos para viabilizar um convênio entre os governos federal, estadual e municipal e para efetivação do projeto.

Texto: Suelda Cordeiro
Em: 15/04/2015 
_______________________________________________________________ 

Bárbara Soeiro pede mais
investimentos para a Zona Rural


O plenário da Câmara Municipal de São Luís aprovou indicação de autoria da vereadora Bárbara Soeiro (PMN), pedindo o envio de expediente ao governador Flávio Dino para que, por meio da Secretaria de Estado Infraestrutura, seja elaborado um projeto de desenvolvimento específico para as zonas rurais I e II de São Luís.

Segundo a parlamentar, o projeto tem o objetivo de gerar o crescimento e estruturação naquelas áreas, em diversos setores, como por exemplo, na saúde, educação, saneamento básico, transporte segurança, infraestrutura das vias de acesso e esporte e lazer.

Bárbara Soeiro disse que a adoção de medidas se justifica – em forma de políticas públicas – devido ao contingente populacional da região, que oferece à capital maranhense benefícios, mas, infelizmente, vive em uma situação de total abandono.

A Zona Rural abastece a cidade de São Luís com produtos alimentícios como pescados, mariscos, verduras, legumes, hortaliças, frutas, plantas medicinais e ornamentais, areia, barro, até mesmo asfalto. Bárbara Soeiro afirmou ainda, que a falta de estrutura - em todos os serviços públicos - é própria em todas as comunidades que compõem estas regiões, fato que inibe o desenvolvimento, forçando a carente população a procurar atendimento nas instituições públicas da zona urbana da capital.

“Investir para garantir avanços em áreas que temos baixos indicadores sociais desta macrorregião constitui um ato de justiça por parte do governo e das grandes empresas aqui implantadas, mediante a valorosa contribuição que a Zona Rural oferece a muitos”, acentuou Bárbara Soeiro.

Texto: Nice Moraes
Em: 15/04/2015
 ___________________________________________________________________________

Audiência na Câmara vai
debater situação de ambulantes

O Plenário da Câmara Municipal de São Luís aprovou, na terça-feira (14), requerimento de autoria da vereadora Luciana Mendes (PTdoB), propondo a realização de uma audiência pública para debater a situação dos trabalhadores ambulantes que atuam no Terminal de Transporte Urbano do Anel Viário, área do  Centro Histórico  da capital.

O evento, que será realizado no próximo dia 6,  tem por objetivo encontrar uma saída viável para não prejudicar esses profissionais que, há mais de 30 anos, exercem legalmente suas atividades, com a permissão do Poder Público.

A vereadora pretende convidar para participar da audiência todas as autoridades e dirigentes de entidades envolvidas na questão, e que podem apontar uma solução que não seja o despejo dos trabalhadores do terminal. Entre as autoridades estão: a defensora pública Glaiseane Lobo Pinto de Carvalho, titular do Núcleo de Direitos Humanos da DPE/MA; o subprefeito da região do Centro Histórico, Fábio Henrique Carvalho e o promotor de Controle Externo da Atividade Policial, Cláudio Guimarães.

Devem participar da audiência, também, representante da Secretaria Municipal de Urbanismo e Habitação (SEMURH) e dirigentes do Sindicato do Comercio de Vendedores Ambulantes de São Luís. A vereador Luciana Mendes acha necessário estabelecer um diálogo da categoria com os órgãos envolvidos no processo de despejo.

“ Não podemos aceitar que no momento de crise como o que estamos passando,  trabalhadores não possam exercer suas funções. Causará um problema social sem precedentes, pois milhares de pais e mães de famílias ficarão sem trabalho e sem renda para sustentar seus filhos, —   afirmou a parlamenta em sua justificativa. 

Texto: Isaías Rocha

0 comentários:

Postar um comentário

visualizações!