"Feijoada do Honolulu 2015 " terá Gabriel Teixeira, integrante da ala de compositores da Mocidade Independente de Padre Miguel
Tecnologia do Blogger.

"Feijoada do Honolulu 2015 " terá Gabriel Teixeira, integrante da ala de compositores da Mocidade Independente de Padre Miguel


Gabriel Teixeira soma qualidade e requinte musical com diversão e carisma, falando de amor com alegria; e mostrando que samba também se aprende na escola.


O cantor e compositor carioca Gabriel Teixeira, já confirmado para agitar a “Feijoada de Honolulu” de 2015, dia 24 de janeiro, no Hotel Luzeiros. Evento que tem a assinatura do jornalista e colunista NedilsonMachado, da coluna 'Em Cena' do jornal O Estado do Maranhão.
O jovem sambista, que toca cavaquinho, compõe e canta; foi um dos compositores do samba da Mocidade Independente de Padre Miguel deste ano, quando a escola levou para a Avenida o enredo “Pernambucópolis”, ao lado de Dudu Nobre, entre outros.
Em São Luís, ele já esteve três vezes à convite de Mário Junior, produtor do Samba do Pinto, e apesar de muito jovem já tem história para contar como compositor em blocos e escola de samba no Rio de Janeiro.

Mais sobre a carreira musical de Gabriel Teixeira


Na Cidade Maravilhosa, Gabriel figurou em grupos iniciantes como “Chora na Rampa” e “Tenho Dito’, alegrando bares na Ilha do Fundão, Zona Norte da cidade e Lapa. Foi ainda autor dos sambas de blocos de rua como o “Que M… é Essa?” (Ipanema) e “Carmelitas” (Santa Teresa). Atuou no musical “É Samba na Veia, é Candeia” (2008-2010), de Eduardo Rieche, ganhador do Prêmio Shell de 2010 na categoria Direção Musical. Entre 2010 e 2012, integrou o grupo Samba Urbano, com quem venceu a 5ª Mostra de Novos Talentos do Carioca da Gema (tradicional casa da Lapa/RJ) e teve oportunidade de tocar ao lado de Diogo Nogueira, Nelson Sargento, Wilson Moreira e Fundo de Quintal (por quem o grupo é apadrinhado). Integrante efetivo da ala de compositores do GRES Mocidade Independente de Padre Miguel, sua escola do coração; teve a honra também de ver e ouvir a Sapucaí cantar o samba que compôs (com Diego Nicolau e Gustavo Soares) no desfile de 2012 da escola sobre o pintor Cândido Portinari. Gabriel começa a escrever uma bela história agora em carreira solo, e em parceria com o produtor musical Wilson Prateado, ídolo desde sua infância, apresenta as primeiras duas músicas de seu novo trabalho. Na romântica “Me Entrego” (Prateado e Alexandre Lucas) esbanja suavidade e romantismo sem perder a pegada do samba. Em “Castelo” (Prateado e Umberto Tavares), revela-se um cantor eclético e suingado. 





0 comentários:

Postar um comentário

visualizações!